PV Responde - Portal do Vidraceiro
Daniel Fazenda Freire, diretor-executivo da D2F Engenharia, falou sobre como evitar dores de cabeça; dados do CAU/BR revelam que 85% dos brasileiros não contratam especialistas

Trincas, rachaduras, infiltrações, acabamentos desgastados, falhas elétricas ou hidráulicas são problemas comuns que afetam centenas de residências em todo o Brasil. E quando alguma destas características aparece, é bom ficar atento, porque pode estar na hora de planejar uma reforma. Mas, o que fazer para evitar os transtornos que possam surgir durante a execução do projeto? A resposta é simples: contratar uma boa equipe de profissionais.

Dados divulgados pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) em parceria com o Instituto Datafolha revelam que, em 2015, 54% dos brasileiros já realizaram uma reforma ou construção de imóvel residencial ou comercial. Deste total, 85% optaram pelo serviço sem o auxílio de um profissional especializado. Apenas 7% das pessoas já contrataram um profissional qualificado para a execução de um projeto. (www.caubr.gov.br/pesquisa2015).

Embora uma pequena parcela da população tenha escolhido bons profissionais, 78% demonstraram altíssimo grau de satisfação. “Além de optar por materiais práticos, modernos e acessíveis, e considerar as mudanças necessárias e o prazo da obra, é importante contratar uma equipe que esteja preparada e capaz de gerenciar o desenvolvimento da obra conforme o cronograma e também minimizar e solucionar problemas que ocorram no decorrer do projeto”, destaca o diretor-executivo da D2F Engenharia, Daniel Fazenda Freire.

Se a opção for ampliar o imóvel, é preciso evitar que a estrutura sofra algum dano. “Se a reforma incluir a construção de mais um andar, por exemplo, o ideal é fazer um reforço na estrutura para garantir que o imóvel esteja em segurança ao longo da execução do projeto. Desta forma, não haverá danos ao final do processo”, ressalta Freire.

Criar soluções flexíveis ou apostar num estilo mais contemporâneo de arquitetura, além de proporcionar conforto e sensação de bem-estar, resulta em valorização, principalmente, quando a decisão é por vender o imóvel. “A vantagem em reformar, além da estética, é o valor que agrega ao imóvel na hora de decidir por vendê-lo”, finaliza o executivo.